O E-Mail PTR ou o chamado DNS Reverso

O PTR ou DNS Reverso resolve o endereço IP, devolvendo o nome do domínio associado a esse ip. Ou seja, quando temos disponível um endereço de IP de por exemplo um servidor de email e não sabemos o nome do domínio(nome dado à servidor ou outro equipamento semelhante), tentamos resolver esse endereço IP através do DNS reverso (PTR) que procura qual é o nome do domínio que está associado a esse endereço.
Os servidores que utilizam o DNS Reverso (PTR) conseguem verificar a autenticidade de endereços, verificando se o endereço IP atual corresponde ao endereço IP informado pelo servidor de DNS. Isto evita que alguém utilize um domínio que não lhe pertence para enviar email spam, por exemplo.

O Conceito Básico

O DNS Reverso transforma um ip (exemplo: 66.249.71.47) em um nome de dominio (exemplo: servidor.dominio.com) ou seja, um endereço de IP num nome.
Normalmente, quem fornece os IPs (por exemplo para um servidor de email), e atenção não confundir o fornecer IPs com o fornecer servidor, deve sempre configurar nos dns’s internos da zona do IP o nome a que cada um corresponde.
O DNS padrão utiliza entradas de dns do tipo “A Records” enquanto o DNS Reverso utilize entradas do tipo “PTR records” que se parecem com “47.71.249.66.in-addr.arpa. PTR servidor.dominio.com” (enquanto um DNS padrão não PTR seria algo como “servidor.dominio.com. A 66.249.71.47″).

Funcionamento DNS Reverso

O DNS Reverso (rDNS / PTR) tem início com o seu fornecedor de Internet (MEO, Zon, Sapo, Vodafone entre outros), ou com o fornecedor de IPs para o seu servidor de email.
Quando recebe os IPs deve sempre solicitar ao seu fornecedor a necessidade de ter o DNS Reverso configurado e deve fornecer-lhe o nome que o IP deverá ter.
Nos dias de hoje, qualquer servidor de email que tenha um IP sem DNS Reverso (PTR / rDNS), é um servidor candidato a ser atacado e considerado SPAM, isto para além de ser uma verdadeira ameaça a todos os utilizadores.

Fatos

O problema maior hoje em dia é que muitos administradores de servidores de email configuram os seus servidores de DNS que funcionam perfeitamente (DNS padrão), sem adicionarem e preocuparem-se em configurar as entradas PTR ou solicitar ao fornecedor de IPs essa configuração. Quando têm depois emails devolvidos por essa razão estranham, e muitos deles nem sequer sabem do que se está a falar, desconhecendo por completo o que é o PTR e como este é IMPORTANTISSIMO.
Os servidores de e-mail sem configuração do DNS Reverso irão enfrentar “grandes pesadelos” para entregar mensagens para outros domínios.

Conclusão

Se é um administrador de um servidor de email, não se esqueça, é essencial e OBRIGATORIO para o bom funcionamento do seu servidor, que o(s) IP(s) do seu servidor de email tenham o PTR (DNS Reverso).

Comentários

  1. O penúltimo tópico é “factos”?

Deixe seu comentário

*