Introdução à Web 3.0

Se perguntar à maior parte das pessoas que percebe de Web, qualquer um lhe vai dizer o que é a Web 2.0. Para muitos, a Web 2.0 foi caracterizada principalmente pela facilidade de troca de informações na internet, nomeadamente as redes sociais como o Facebook, Twitter, e até mesmo o Youtube. Tudo se baseava em partilhar informação rapidamente… Se bem se lembram, a Web 1.0 era uma internet muito pouco dinâmica. A informação disponível era só aquela que era posta nos websites, e ter um não era para todos. Isso tornava a internet muito difícil de usar, e dificultava a vida aos motores de busca. Com a introdução da Web 2.0, tudo isso melhorou, e passou a haver muita mais informação, nos mais diversos sites… Mas então… o que é a Web 3.0?

O que é a Web 3.0?

É difícil de imaginar como a Web pode ultrapassar as redes sociais, mas vai acontecer!  Isto porque a próxima geração de internet vai ter como foco a interligação do utilizador com a máquina. Na web 2.0, estava-se sempre focado na ligação dos utilizadores com outros utilizadores, mas é altura de o grande centro ser o próprio utilizador… Como é que pode acontecer? A Web 3.0 é conhecida por ser Semântica, ou seja que é focada na informação existente, e na facilidade de acesso a essas informações. Os dados são pedidos pelo utilizador, e são apresentadas respostas à medida de cada utilizador. Por exemplo, numa pesquisa sobre “Blogues de Design”, o dispositivo consegue detectar a categoria da pesquisa, neste caso, “Design”. Numa próxima pesquisa, utilizamos as palavras “Computadores”, e o motor de busca vai ter em atenção que anteriormente pesquisou “Design”, apresentando assim uma informação mais interessante para o utilizador, e torna a pesquisa de cada utilizador “única”.

Quais são os benefícios?

Um dos grandes benefícios da Web 3.0, é a possibilidade de aceder a informações em qualquer lugar. Isto é na grande maioria devido à crescente utilização de Smartphones e dos sistemas Clouds. A intenção é que o utilizador consiga aceder aos seus dados a partir de qualquer aparelho, e a partir de qualquer localização, não apenas de sua casa. A tecnologia está cada vez mais a crescer, e cada vez mais há dados sobre nós na Internet, um exemplo disso, são as chamadas “SmartTV’s” que conseguem saber o que nos vemos, e dão informações sobre programas ou filmes nos quais podemos estar interessados. Sendo assim, podemos resumir vantagens nalguns pontos, como por exemplo:

  • Facilidade de navegação
  • Facilidade de acesso a informação
  • Cada utilizador é único
  • Maior interligação entre dispositivos
  • Conteúdos personalizados
Estas são sem dúvida as melhores vantagens que a Web 3.0 nos trás.
 

Efeitos no design

Agora que tem uma ideia do que é a Web 3.0, podemos passar à parte mais interessante… Mas que efeitos é que isto vai ter no design dos sites? A Web 2.0 consistia essencialmente em chamar a atenção e persuadir os utilizadores, já que um enorme número de lojas online foi criado.  Isto porque queriam dizer ás pessoas que a internet afinal, era segura, e dava para fazer inúmeras coisas, para além de pesquisar… “Queres receber notícias nossas? Clica neste botão!”. Este é um modelo geral da Web 2.0. Também novos elementos foram adicionados, por exemplo os Gradients em CSS3, quase que passaram a ser obrigatórios para os websites, ou o uso de HTML5, e se não era isso, com certeza que havia caixas de texto, ou botões com bordas redondas… Tudo para chamar ainda mais a atenção! Mas continuamos com a mesma pergunta… o que vai mudar? Para começar, é preciso dizer também que na Web 2.0, se criavam páginas que pareciam bem num web-browser… Na Web 3.0, é sempre preciso preocupar-se com muitas mais coisas, porque o mundo cada vez mais acede à internet sem ser no computador. O que querem agora as pessoas? Anúncios que lhes tiram a atenção? Aspectos elaborados demais que distraem o utilizador? Não! A Web 3.0 vem melhorar um aspecto muito importante… A qualidade da navegação em outros dispositivos para além do computador. Para isso é preciso ter um Website simples, prático e eficaz.  As pessoas têm dispositivos novos, e querem obter o melhor deles, sem ter que se preocupar com anúncios e coisas chatas. Portanto, os Webdesigners têm agora que pensar em todas possíveis plataformas que vão aceder ao site, e transcrever a mensagem do site em pouco espaço de página. Até aqui era preciso criar um website bom para browsers, e um bom para dispositivos móveis… Agora, têm que fazer um Website que pareça fantástico em ambos os ambiente. Outro dos aspectos, é a simplicidade de acesso. A verdade é que o designer tem a capacidade de escolher para onde as pessoas vão olhar em primeiro lugar, segundo lugar, terceiro… e por aí adiante. E como tal, é importante que a atenção vá principalmente para o conteúdo, e não para as barras de navegação, botões, logos, etc.

 

Modas da Web 3.0

Uma das grandes modas da web, tem sido o Flash, que está totalmente ultrapassado e é anti motores de busca, e anti dispositivos, uma vez que não corre em iOS. Tirando o flash de um site, o utilizador deixa de olhar para lá, e olha principalmente para o conteúdo. É claro que vai sempre haver utilizadores que vão por os menus com um aspecto fantástico, mas lembre-se… Isso deixou de ser o essencial, e o essencial agora é o conteúdo, e a facilidade de uma pessoa a aceder a esse conteúdo. O que mais vai mudar, não vai ser o conteúdo, mas sim o visual, uma vez que é preciso saber o que queremos que o utilizador veja. É claro que vamos sempre encontrar bordas redondas e grandients, mas os sites vão ser cada vez mais simples, e é preciso manter um equilíbrio entre a beleza de um site, e a sua utilidade. Há muito que dizer sobre sobre a Web 3.0, e podia-se falar sobre este tema por várias páginas…  Mas garantimos que vamos continuar com este tema, portanto esteja atento para mais informações.

Deixe seu comentário

*