Projecção do site: conheça o seu site mesmo antes de o construir

Primeiro ponto: este tutorial não tem por objectivo abordar o planeamento do site e muito menos conteúdos mais avançados como noções de tipografia, usabilidade, marketing, SEO ou outros que fazem parte integrante do sucesso de um site. Todas essas temáticas serão abordadas futuramente aqui nos tutoriais rumonet mas esta série de artigos não o fará.

No entanto, antes de partir para o primeiro passo (o mockup/rescunho antes de passar ao html) era imprescindível falar muito ao de leve pelas temáticas envolventes dessa preparação, sobretudo para um público menos experiente nestas andanças. Assim, há perguntas que devem ser feitas  antes de qualquer site ser projectado:

1. Para que é que o site vai servir?

É um site que funcionará como forma de comunicação única? Ou seja, é um site que funcionará por si? Ou é um site como canal de marketing de apoio a uma empresa? Ou é um site que será uma plataforma exclusivamente de consulta para um serviço de empresa?

A resposta a esta pergunta é o mais importante de toda a projecção uma vez que será esta a resposta que dará sentido à criação das fontes de tráfego (já pensou de onde virão as pessoas para encontrar o seu site?), à definição do design para ir de encontro às expectativas do público alvo, se é para vender produtos ou apenas uma imagem generalizada de marca, ou se é para forçar o clique na publicidade. Os objectivos do site são infindáveis, mas se estás neste momento a pensar em criar (ou mesmo refazer) um site, tens de pensar no que queres antes de sequer o começar a desenhar numa folha em branco.

2. Sei o que quero “vender”, por onde começo agora?

O processo de cada um é pessoal mas no meu caso em concreto, muito raramente começo um site sem que esteja alguns dias a tentar construi-lo apenas na imaginação. Começar mentalmente a desenhar os blocos, os fundos, o estilo, as cores, e só quando já tenho mais ou menos definido na imaginação passo ao papel. Daí, aparecem as afinações (ainda no papel) e os processos que falaremos no artigo seguinte sobre o “mockup design”, mas o importante aqui a dizer é o seguinte: NUNCA comeces a desenhar sem primeiro ter uma ideia, por mais básica que seja. E de onde vêm normalmente as primeiras ideias?

3. Estudo da concorrência

Muitas das boas ideias já estarão nos sites que se dedicam ao mesmo nicho, mas aqui vem um dos pontos também muito importantes: se forem realmente boas ideias… não deixes que o teu site não as tenha, mas se forem só essas as capacidades do teu site (as baseadas nas ideias dos outros) então o sucesso é uma possibilidade muito mais remota uma vez que não irás a acrescentar nada ao mercado. Com base no que vês noutros sites cria a tua própria abordagem, a tua identidade (!), quanto mais única for esta identidade mais valor estarás a criar e se quem visita achar a abordagem correcta, o único caminho do site é o sucesso.

4. Como vender seja lá o for

Da experiência profissional que tenho há um técnica que muito raramente falha: vender grandeza. Se estás a vender um site de prognósticos desportivos mostra uma equipa de editores que vive dessa forma (e de preferência que viva bem), se estás a fazer o site para uma empresa com 10 empregados dá uma imagem tão profissional quanto possível, faz com que o visitante não perceba que está a visitar uma empresa pequena empresa mas sim uma companhia com uma dimensão superior àquela que realmente é, a grandiosidade vende sempre, é caso para dizer que o tamanho afinal… importa :) . É importante vender sempre mais credibilidade, mais força, mais poder.

Claro que não há regra sem excepção e aqui pode pôr-se o caso de uma instituição de solidariedade por exemplo. Nesse caso o objectivo seria angariar fundos, provavelmente convém não dar uma imagem de instituição abastada. Resumindo, a grandeza funciona quase sempre, a não ser quando joga contra em casos óbvios.

5. De onde virá o tráfego?

As primeiras linhas da primeira resposta deste artigo são perguntas que intervirão directamente nas fontes de tráfego. O site deverá ter um plano de marketing, saber de onde virão visitas asseguradas, de onde poderá haver um aumento com publicidade, se conseguirás ter uma posição de destaque nos motores de busca ou de outra forma qualquer. Se vais fazer um site e não fazes ideia de onde vão chegar os visitantes então se calhar esta ainda não é a altura para fazer o novo site. Há fases anteriores, essas deverão ser estudadas antes da criação do site.

Resumindo… criar um site com sucesso não se fica a dever apenas à sua execução. Primeiro tem de haver uma ideia, depois estruturação e só depois é que o site começa a nascer. Quinta-feira não percas o próximo artigo onde iremos falar do problema da folha branca, do primeiro desenho do teu site. Como desbloquear ideias, como estruturar, fazer desenhos e poupar muito tempo para quando for a fase da implementação.

Até já !

Este artigo faz parte da série Criar template com genesis wordpress framework – altere como se fosse html simples .

Sobre Gonçalo Cabral

Autor de vários artigos sobre tecnologia e um fanático pela Briosa. Trabalha na internet desde 2005 com vários websites profissionais já concebidos. Dedica-se ao estudo de questões de usabilidade e interessa-se constantemente pelas evoluções na web.

Trackbacks

  1. […] pergunta que se deve fazer, se não há imaginário com ideias então rasga a folha e volta ao artigo anterior. Volta a pensar, a definir objectivos e a fazer esboços mentais antes de os passar para o papel. […]

Deixe seu comentário

*